Pássaro Azul

Essa é minha versão do poema Bluebird de Charles Bukowski

Tem um pássaro azul dentro de mim
e ele quer sair…
eu deixo, por que eu não deixaria?
Deixo-o livre para que pouse no ombro de quem quiser.
Tem um pássaro azul dentro de mim
e ele bica meu peito por dentro
até eu dizer que amo.
Às vezes sangra, mas quando ele vê que está realmente machucando,
ele para, sossega e procura um curativo.
Tem um pássaro azul dentro de mim
e ele voa livre no meu estômago enquanto beijo.
Ele também gosta de sair e cumprimentar o pássaro azul de quem estou beijando.
Tem um pássaro azul dentro de mim e ele quer sair. Ele ainda não descobriu que já está livre.

Foi mal

Desculpa, eu esqueci de desejar boa viagem pra fora da minha vida. É que tu, do meu lado, já tava tão distante e eu tão triste, por isso que esqueci que iria embora hoje.

Desculpa, mas eu não esqueci teu aniversário. Fiquei com medo de ir falar contigo já que da última vez tu quis enfiar uma faca no meu pescoço.

Desculpa, mas te amar demais nunca foi o problema entre a gente.

Desculpa se insisti em algo que tu não queria.

Desculpa se insisti em ser pelo menos teu amigo e desculpa se eu não queria que tu fosse embora.

Desculpa se pedi teu endereço exageradas vezes, só queria te mandar um presente ou uma carta. Desculpa também por não os mandar quando tu me disse o endereço, tava sem dinheiro pra presente e escrever uma carta já não fazia sentido.

Desculpa por querer ouvir tanto sua voz, pedir tantos áudios e ligações no Skype.

Desculpa por te elogiar tanto e por falar tão pouco.

Desculpa por passar pela tua vida, mas não precisa contratar um matador de aluguel. Só por me falar isso, já pode me considerar morto pra você.

desculpa por ainda te amar

Olhei Maria por horas a fio

Hoje eu consigo, Maria.

Eu olho prum cavalo e o vejo mais marrom do que nunca.
Eu olho prum morro e vejo seus matos e folhas mais verdes que nunca, suas pedras e troncos mais cinzas e castanhos que nunca.
Olho praquele rio e te vejo faltando ali fingindo ser humana que brinca de ser sereia.
Olho pra ti, sereia, e te vejo o arco íris. Te vejo luz te vejo estrela te vejo planeta te vejo deusa.
Te vejo Maria cheia de chuva.
Eu fecho os olhos, Maria, e continuo te vendo.

Mais um texto pra tentar te superar

Nossa, lembra daquela lista que a gente fez de coisas que faríamos quando eu fosse aí? Tem tanta coisa pra gente acrescentar agora. Algumas pra tirar talvez, não lembro de tudo. Acho que posso achar se eu vasculhar nos meus arquivos. Eu acrescentaria fazer uma tatuagem, comer algodão doce, gravar uns vídeos nossos e, bom… algumas coisas que pensei é melhor falar só contigo.

Até hoje eu não entendi por que tu fez isso. Já desisti de entender, na verdade, talvez eu tenha entendido. É que nenhum motivo me parece bom o suficiente. Não achei que tu poderia fazer isso. Eu me culpo, obviamente. O que mais eu poderia fazer? Você pede um tempo, eu dou um tempo, eu tento falar contigo e você, de repente, quer me matar. Não é possível que não seja culpa minha. Ninguém é agressivo assim só pra afastar outra pessoa. Não é possível.

Mas tudo bem, já superei todos esses questionamentos. Já superei toda a dor que isso me causou. Eu não sabia o que era insônia até você sumir. Eu dizia pra todos que eu tava bem, inclusive pra mim mesmo. Busquei consolo em outra boca, mas você sabe que isso não funciona pra ninguém. A dor sempre voltava. Ainda bem que passou! A dor. O amor não. Por isso eu tô escrevendo isso.

Eu não sei se conseguiria começar alguma coisa com você de novo. Isso é tão estranho, porque eu te quero e eu te amo tanto, mas olha só o que você fez! Entra aqui pra tu ver como você deixou o lugar. O tempo que levou pra arrumar? Nem vale a pena falar.

Começou a tocar uma música na tua playlist, queria saber qual é. Eu conheço, já ouvi milhões de vezes, tenho certeza. Tu não coloca nome e a música é toda instrumental, não dá nem pra pesquisar. É trilha sonora de algum filme, eu tô quase lembrando!

Ainda te amo.

Ass.: alguém estúpido o suficiente pra ainda te amar.